BLOG DE NOTÍCIAS DO MOVIMENTO ESPÍRITA.....ARAÇATUBA- SP

Atenção

"AS AFIRMAÇÕES, INFORMAÇÕES E PARECERES PUBLICADOS NESTE BLOG SÃO DE RESPONSABILIDADE EXCLUSIVA DE QUEM OS ELABOROU, ASSINA E OS REMETEU PARA PUBLICAÇÃO. FICA A CRITÉRIO DO RESPONSAVEL PELO BLOG A PUBLICAÇÃO OU NÃO DAS MATÉRIAS, COMENTÁRIOS OU INFORMAÇÕES ENCAMINHADOS."

domingo, 31 de outubro de 2010

Focalizando o Trabalhador Espírita Mara Sucena


Mara Sucena



Entrevista para Ismael Gobbo ao Notícias do Movimento Espírita


A entrevistada Mara Sucena, nasceu na cidade de Itapevi, SP e reside na cidade de São Paulo. É casada com o escritor e orador Américo Sucena (*), tem três filhas e um neto. Mara se dedica de longa data ao trabalho de divulgação da doutrina espírita que teve início com a evangelização infantil. Atualmente divulga o Projeto Imagem, fazendo palestras que foram elaboradas com base nas obras de André Luiz e Emmanuel. Também coopera com resumos dos livros que serão ilustrados.



Nasci em Itapevi, SP, a caçulinha da família. Aos 5 anos viemos para a cidade de São Paulo. Meus pais, João Marques da Silva e Júlia Marques, sempre foram muito batalhadores e com muito esforço conseguiram que os três filhos se formassem.

Estudei na Fundação de Santo André, fiz o curso de Matemática e comecei a lecionar logo no primeiro ano da faculdade. Foi um período de muita correria e ,para conciliar todas as atividades, cheguei a utilizar cerca de dez transportes coletivos por dia. Atualmente estou aposentada. Tenho três filhas: Renata, Paula e Cláudia, muito queridas, e um netinho muito fofo, o Gabriel, filho da Renata. Meus pais estão desencarnados, mas devo a eles muito respeito e admiração, pois sempre estiveram presentes, e graças principalmente a minha mãe, que se dedicava ao cuidado das minhas filhas, eu pude sempre manter as atividades doutrinária no Centro Espírita. Para tanto, também recebi ajuda da avó do meu marido, D. Dulceana, já desencarnada.



Como você conheceu o Espiritismo e desde quando é Espírita?

Conheci o Espiritismo através de um problema de saúde da minha irmã. Os médicos não detectaram nenhuma enfermidade, mas ela desmaiava e passava mal. Diante dessa situação, alguém sugeriu que ela fosse a um Centro Espírita. Então, eu fui junto com ela e nessa oportunidade, encontrei um grupo que estudava o evangelho sobre um prisma de muita lógica e compreensão. Eu tinha 16 anos, era Católica e aquilo me impressionou muito. Esse grupo era liderado por Gilberto Aiello, conhecido no meio Espírita, já desencarnado, a quem eu tenho muita gratidão e um carinho especial, assim como também à sua esposa D. Geni.

Transcorridos três meses, me tornei Espírita. E passei a participar da Mocidade Espírita “Pátria do Evangelho” e de reuniões de estudos e mediunidade. Posteriormente, conheci o Centro de Preparação Cristã (CPC), onde o Sr. Ari Andriolo era o dirigente. No CPC, além das reuniões noturnas, comecei a auxiliar na Evangelização infantil e foi lá que conheci o Américo, com quem me casei há 36 anos, depois de 6 anos de namoro



A que Casa Espírita está vinculada presentemente?

Associação Espírita Mãos Unidas, da qual participo desde sua fundação em 1980.



Poderia nos sintetizar sua trajetória de trabalho na seara espírita?

Sempre tive bons mestres. Tenho uma alegria muito grande de poder desenvolver algumas atividades, entre elas o trabalho junto à criança e ao jovem, o trabalho mediúnico, a princípio como médium falante e atualmente como esclarecedora. Também faço uso da palavra no apoio da reunião de Evangelhoterapia , assim como na divulgação do Projeto Imagem através de palestras.



Como andam as palestras e quais os temas mais solicitados?

Este ano já fizemos muitas palestras. Os temas solicitados, em sua maioria, são voltados para as obras de André Luiz, psicografadas por Chico Xavier, que fazem parte do Projeto Imagem.



Qual a sua participação no Projeto Imagem?

Na verdade, a minha participação direta se deu com a obra “Voltei”, do irmão Jacob, psicografada por Chico Xavier, uma vez que ficou sob minha responsabilidade a tarefa de resumir e sugerir as cenas. Nas outras, a minha participação é bem restrita, faço apenas algumas sugestões. Atualmente estou trabalhando no resumo da obra Renúncia e nas descrições das cenas.



Alguma novidade em termos do projeto?

Há um empenho muito grande para terminarmos as obras de André Luiz e os romances de Emmanuel, “Renúncia” e “Ave Cristo”. Também estamos cuidando da revisão e ampliação de algumas obras já existentes. Ah! Não posso deixar de falar que nas últimas obras estão acontecendo efeitos especiais. Esses efeitos são pequenos movimentos e transições como por exemplo a materialização de Matilde e a transformação da mulher em loba (um caso de licantropia), que são citadas no livro Libertação e que está sendo refeito com cerca de 50 cenas com vistas ao aproveitamento das diversas instruções do livro em Seminários.


Você tem alguma obra escrita?

Nenhuma. Não sou muito dada às letras, por isso estudei matemática.


Como você tem enxergado o nosso movimento espírita?

Considero que o objetivo maior do Movimento Espírita é a união fraterna. Embora, às vezes, aconteçam alguns posicionamentos as colocações contraditórias aos fundamentos da codificação e Kardec.



Tem te impressionado a avalanche de alternativas de difusão do Espiritismo com novelas, filmes e mídia em geral?

Sim. Acredito até, que existe um planejamento superior para essa abertura, afinal não se pode esconder a candeia embaixo do alqueire, não é?



Você acha que estamos enxergando de forma mais clara a transformação da Terra em mundo de regeneração conforme preconizado pelo Espiritismo?

Acredito que esta clareza ainda está encoberta , mas os sinais já não são tão sutis. O interessante, nisso tudo, é seguir os conselhos do nosso Mestre Jesus: Orai e vigiai.



O que você imagina nesse sentido daqui para frente?

Sinceramente, não sei. Eu achava que o ano 2000 teria algo de diferente, e não aconteceu nada!

Agora prefiro aguardar!

Mas confiante nas palavras de Jesus: ...Que os mansos herdarão a Terra! E também na colocação de S. Luís, na última questão de “O Livro dos Espíritos”, quando nos diz que muitos espíritos bons estarão encarnando auxiliando o progresso e formando uma geração nova.




Algo mais que queira acrescentar?

Para finalizar, gostaria de dizer que foi muito bom responder a essas perguntas, pois revivi alguns momentos muito felizes, tendo tido a oportunidade de perceber quanta gente passa por nós e faz a diferença.

Muita saúde, paz e alegria para todos.











Legenda das fotos: Mara e Américo com o neto Gabriel, filho de Renata; A familia Sucena da esquerda para a direita : Renata (mais velha), Paula (a do meio), Mara e o cachorro Bethoven, Américo e Cláudia (mais nova); Mara, Cláudia, Paula e Renata; Mara, Cláudia, Renata e Paula; Mara desenvolvendo palestras em São Paulo; a cidade Nosso Lar e o aerobus descrito por André Luiz (Projeto Imagem).



(*)Entrevista com Américo Sucena:
http://ismaelgobbo.blogspot.com/2010/08/focalizando-o-trabalhador-espirita_09.html



Site do Projeto Imagem: http://www.projetoimagem.com.br/politica-privacidade.asp



OBS: AS FOTOS Desta entrevista só PODERÃO SER UTILIZADAS EM OUTRAS PUBLICAÇÕES MEDIANTE AUTORIZAÇÃO EXPRESSA DO entrevistadO.

Leia os boletins do SEI Rio de Janeiro


Campanha Natalina do Seara do Mestre “Neste Natal faça uma criança feliz” São Paulo

Amigos,



Iniciamos a nossa campanha anual para fazer uma criança feliz neste Natal.



São 107 crianças de 0 a 7 anos, cujas familias foram assistidas pelo Seara durante este ano.



Para colaborar, retire na Secretaria do Seara um (ou mais!!) envelope com os dados da criança.



A sacola deverá conter:



* Um conjunto de roupa
* Um par de sapatos
* Peças íntimas
* Um brinquedo
* Produtos de higiene pessoal
* E,é claro, muito carinho....



Todos os produtos devem ser novos e a sacola completa deve ser entregue no Seara até o dia 11/12.



Contamos mais uma vez com sua colaboração



Nossa missão: Auxiliar fraternalmente o indivíduo em seu desenvolvimento espiritual, por meio da Divulgação, do Ensino e da Prática da Doutrina Espírita.

--

Centro Espírita Seara do Mestre

R. Carlos Roberto Cavanhas, 392 - V. Rubi

São Paulo - SP

04823-120



(Informação recebida em email do Seara do Mestre searadomestre@gmail.com)

Ciência Universo Paralelo

A Ciência está a um passo de admitir que exista outro domínio externo ao universo, que, para os reencarnacionistas, seria o mundo espiritual.

Evidências sobre universo paralelo podem surgir em breve, dizem cientistas do CERN.

"Universos paralelos, formas desconhecidas de matéria, dimensões extras... Isso não é coisa de ficção científica barata, mas teoria física muito concreta que os cientistas tentam confirmar com o LHC e outros experimentos.

Matéria completa:

http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/817483-evidencias-sobre-universo-paralelo-podem-surgir-em-breve-dizem-cientistas-do-cern.shtml

(Colaboração recebida em email de Geraldo Lemos Neto, BH)

Palestra com Roosevelt Andolphato Tiago “Casamento e Vida Feliz” Itapuí, SP



(Informação em email de Leopoldo Zanardi)

2º. Feirão do Livro Espirita, espiritualista e autoajuda promovido pelo IDE Araras, SP


(Informação em email de Leopoldo Zanardi)

Programação da Rádio Espírita Campinas www.radioespirita.org.br


www.radioespirita.org.br

Sexta-feira

29/10, 20h30

Programa Observatório Espírita

Um panorama da imprensa espírita

Confira os periódicos

"Panorama Espírita" e Revista "Reformador"

Domingo

31/10, 19h

Programa Opinião Espírita

A cultura espírita ao alcance de todos

“Dia de finados”

Seu significado e implicações para pessoas e espíritos

Participam do programa: Gustavo Montagner, Carlos Garcia e Dermeval Carinhana

Editorial

Segundo os especialistas, todas as culturas humanas, em menor ou maior grau, possuem em suas tradições algum tipo de homenagem ou lembrança dedicada aos mortos.

Muitos argumentam que tais demonstrações de afeto consistem tão somente em iniciativas para e diminuir a dor da perda. E, do ponto de vista espírita, eles estão realmente certos.

Contudo, ao invés de uma ilusão criada por nós mesmos, como defendem, a origem da felicidade experimentada é algo tão palpável quanto simples: a sobrevivência do Homem à morte de seu corpo biológico.

Isso significa que, como ocorre na Terra, uma vez criadas as condições necessárias, podemos efetivamente entrar em contato com as pessoas que nos são caras.

Longe, pois, de imaginações ou delírios, as relações entre os mundos visível e invisível, quando conduzidas de maneira saudável, consistem em importantes experiências para nossa própria jornada de espíritos imortais.

Texto: Dermeval Carinhana

19h 50

Programa Encontro Marcado

A proposta espírita levada ao ambiente de trabalho

“Paciência"

20h

Programa Nos Caminhos do Saber

Uma reflexão sobre os assuntos do cotidiano, na busca do verdadeiro significado da vida

"Ansiedade patológica"

Participam do programa: Waldete Tieppo, Marisa Allen, Marcos Sibineli e Éder Fávaro

Produção e Apresentação:

Área Cultural do Instituto Brasileira de Psicoterapia Autógena

www.caminhandojuntos.org

20h30

Programa Galeria de Idéias

As pessoas e idéias que contribuem para a melhor

“Por que não vivemos para sempre?”

Um bate-papo sobre as características da nossa vida na Terra

Terça-feira

02/11, 21h

Programa Conheça Kardec

O ambiente espírita à época de Allan Kardec

Notícia

“Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas”

Revista Espírita, maio de 1858

Associação de Divulgadores do Espiritismo de Campinas

www.adecampinas.org.br


Apoio Cultural

Livraria Espírita Ponto de Luz

www.seulivroespirita.com.br

(Informação em email da Radio Espiria Campinas e lista ABRADE)

18º. Mês Espírita de Itanhaém, SP


(Informação em email de Giovana Campos)

Seminário “A Importância do Livro Espírita” Carapicuíba, SP



Dia 31 de outubro de 2010



13h30 às 13h50 Recepção com café, chá, bolachas.

13h50 às 14h00 Abertura do Evento, Prece Inicial.



14h00 às 14h20 Tema: "A monumental obra de Allan Kardec" com Maria Helena.



14h20 às 14h40 Tema: "A contribuição dos romances espíritas" com Lúcia de Fátima.



14h40 às 15h00 Tema: "O impacto da Feira do Livro Espírita" com Márcio Pedroso



Cada palestrante terá 20 minutos para expor seu tema, ao final, será aberto o debate para o público fazer perguntas, participar, interagir com os três palestrantes.



15h00 às 15h40 Debates

15h40 às 16h00 Intervalo - coffee Break



16h00 às 16h30 “A contribuição do trabalho do CCDPE * e as obras publicadas a partir do ENLIHPE" com Jeferson Betarello**



16h30 às 16h50 Apresentação da Pesquisa "Literatura Espírita no Movimento Espírita de Carapicuíba-SP" com Eduardo Flores e Bruno Rodrigues



16h50 às 17h30 Debates, Perguntas e Encerramento.



p.s. lembrando que dia 31 será o dia da votação do 2º turno, portanto, quem quiser participar do seminário se programe para votar pela manhã



* CCDPE: Centro de Cultura e Documentação e Pesquisa do Espiritismo - Eduardo Carvalho Monteiro



** Jeferson Betarello é autor do livro "UNIR PARA DIFUNDIR - O impacto das federativas no crescimento do Espiritismo" e estará autografando seu livro durante o evento.



(Informação em email de Bruno Rodrigues)



Encontro vai mostrar a cultura e o espiritismo Sumaré, SP Encontro vai mostrar a cultura e o espiritismo Sumaré, SP

A doutrina vai ser avaliada como aparece em filmes, novelas, literatura e música na bibilioteca da cidade

Um evento que mostrará a doutrina espírita em diversas abordagens da cultura está marcado para Sumaré, na Região Metropolitana de Campinas (RMC), neste mês de outubro. A idéia é mostrar como o assunto se faz presente na literatura, novelas, filmes e música.
O local do encontro é a biblioteca da cidade em 30 de outubro, com início marcado para as 14h. O evento é promoção do Grupo de Estudos Espíritas de Sumaré (GEES) e Associação do Espiritismo de Campinas (ADE). A entrada é gratuita.
Durante o 1º Encontro Espiritismo e Cultura de Sumaré, realizado no ano em de 100 anos do nascimento de Chico Xavier, haverá exposição de Clayton Prado sobre a doutrina na música, análise do livro “Parnaso de Além Túmulo” a ser apresentada por Rogélio Bonil, um dos fundadores do GEES e ainda abordagem do tema “Os espíritos no cinema”, a ser mostrada por Ricardo Galdino, também do GEES, e Dermeval Carinhana da ADE de Campinas. Ao final das exposições será aberta uma mesa-redonda para discussão dos temas.

Serviço:

Evento: 1º Escontro Espiritismo e Cultura de Sumaré

Data: 30 de outubro de 2010

Horário: das 14h às 17h30

Local: Biblioteca de Sumaré, Rua Carlos Basso, 157, Jardim Carlos Basso (ao lado da escola municipal José de Anchieta.

Entrada grátis

Pra Quem Precisa de Um Pouco de Paz show com Plínio Oliveira Jales, SP



"Quando eu morrer,

Quero morrer feliz por viver

E olhar pra trás, sem nada do que me arrepender

E o que virá

É história que eu só cantarei depois

Aqui estou eu, está você

Fazendo parte de algo maior que nós dois..."



LOCAL: Teatro Municipal de Jales

HORÁRIO: 20h30min.

DATA: 30/10 (sábado)

ENTRADA: Convite + 1kg de alimento não perecível



Convite: 10,00

Obs: Para espectadores fora de Jales: 5,00 + 1 kg de alimento



(Reservar previamente: 17 3621-6570).



André Gandolfo



(Informação recebida em email de André Gandolfo)


Palestras com Jamiro dos Santos Filho em Araçatuba, SP



O orador Jamiro dos Santos Filho estará proferindo duas palestras em Araçatuba. No dia 03/11/2010, quarta-feira, falará no Centro Espírita “Irmã Angélica”, localizado na Rua Tancredo de Paiva Morel, 511, onde estará inaugurando o novo salão de reuniões públicas. No dia 05/11, sexta-feira, a palestra será no G.E. da Fraternidade, na Rua Rintaro Takahashi, 81, Ambas palestras terão início às 20 horas.

(Informação em email de Gregório Carlos Rodrigues, presidente da Use Intermunicipal de Araçatuba e do C.E. Irmã Angélica)

Registro. Palestra por Clarice Ribeiro na Comunidade Espírita “Seara de Luz” Bilac, SP

Texto e fotos recebidos de Vanderlei Nogueira da Silva



Na noite desta quinta-feira, 28/10/2010, a Comunidade Espírita de Bilac teve a alegria de receber nossa querida irmã Clarice Ribeiro trabalhadora do Centro Espírita Casa do Caminho de Araçatuba, SP, com a belíssima palestra com tema

"Ação e Reação" relembrando os ensinamentos do Mestre Jesus.





Lançado “Nosso Lar” em Italiano Milão, Itália



Mais uma obra editada pelo Conselho Espírita Internacional foi lançada: "Nosso Lar", em italiano, com tradução realizada por Cesar Pagliano e Regina Zanella. O lançamento ocorreu após o 3o. Congresso Espírita Mundial, em Milão, no Gruppo Sentieri dello Spirito, coincidindo com o roteiro de palestras do diretor da FEB e do CEI Antonio Cesar Perri de Carvalho, programado pela Unione Spiritica Italiana. Informações: www.edicei.com, www.febnet.org.br




Legendas

Regina Zanella e Antonio César Perri de Carvalho


Regina Zanella, Célia R. Carvalho, Osvaldo Magro Filho e Flávio Carvalho

Encontro para crianças e adolescentes Bruxelas, Bélgica



CONTACTAR: cesakbruxelles@gmail.com





Bom dia
Os grupos espíritas que fazem parte da União espírita Belga estão organizando pela primeira vez na história do Espiritismo na Bélgica um encontro totalmente voltado para as crianças e adolescentes, visando preparar esses espíritos ainda jovens para a vida . O tema: Viva a diferença fala das diferenças vivenciadas pelas crianças e também pelo fato de que todos somos diferentes, mas com algo em comum, todos somos filhos de um mesmo Pai que é Deus. Pedimos todos que tenham filhos ou que conhecem uma criança faça passar o convite. A programação é bem didática. Paz e recebam as energias dos organizadores que estão muito felizes em poder fazer este evento.

Anabela


Produtividade no Centro Espírita

Wellington Balbo



Produtividade é um processo contínuo que extrai do funcionário motivado sua maior capacidade, visando obter melhores resultados com mínimo de tempo e esforço despendidos para as tarefas.

O fator humano é fundamental à maximização da produtividade de Bens e Serviços, sendo, portanto, imprescindível a atualização e treinamento do profissional para que a produtividade seja algo além de um processo, constituindo-se em um estado de espírito. Notadamente o fator humano é fundamental em qualquer circunstância, é através do fator humano que novas idéias surgem e a tecnologia evolui facilitando todo e qualquer processo. E tudo se completa: a produtividade requer o aperfeiçoamento constante do Homem e o aperfeiçoamento constante do Homem desemboca em uma maior produtividade.

E, como é sabido, aumentar a produtividade é necessário. Dentro da realidade empresarial, no que tange aos objetivos dos líderes, o aumento de produtividade é um assunto constantemente comentado. E nesse particular esforços são realizados, cursos proporcionados, treinamentos ministrados, ferramentas implementadas e reuniões realizadas visando buscar um patamar maior de produtividade com o intuito de maximizar os lucros.

Mas, não pára por ai... Interessante o ponto de vista dos autores que discursam sobre a produtividade ser algo além de um processo, constituindo-se em um estado de espírito, além, obviamente do aspecto bem colocado da importância do valor humano na questão produtividade.

Portanto, ao ser dada essa definição à produtividade, os horizontes estão abertos para além do mundo empresarial. A produtividade cabe em todo e qualquer lugar. Onde tiverem recursos a serem administrados a produtividade estará inserida no contexto. E importante salientar, sendo a produtividade também um estado de espírito é fácil concluir sua correlação com a melhoria contínua, o aperfeiçoamento, o não ao comodismo, a labuta incessante pela melhoria.

A produtividade extrapola o limite do simples produzir mais, pois nela está contida a mentalidade da evolução. O processo de aperfeiçoamento que impõe a produtividade é a mola propulsora que faz descobrir novos procedimentos e formas de aperfeiçoar ou executar determinadas tarefas.

Este conceito de produtividade é compatível com os ensinos do Espiritismo, que, diga-se de passagem, é uma Doutrina jovial, que advoga a causa do aperfeiçoamento contínuo, da melhoria, da busca pelo progresso. É o próprio Codificador que diz isso em artigo publicado na Revista Espírita de agosto de 1865 “... o Espiritismo tende para a regeneração da Humanidade, este é um fato adquirido. Ora, esta regeneração não podendo se operar senão pelo progresso moral, disto resulta que seu objetivo essencial, providencial, é a melhoria de cada um...”

O Espiritismo fala com propriedade a respeito da melhoria do indivíduo, a produtividade também discorre sobre o assunto, portanto, pode-se perfeitamente buscar a produtividade nas mais diversas atividades que são desenvolvidas no Centro Espírita.

Na questão que envolve o labor na área da mediunidade, por exemplo, como inserir a questão da produtividade? Como ser um médium ou um dirigente mais produtivo?

Uma das formas de conseguir uma maior produtividade na área do intercâmbio com os Espíritos encontra-se bem delineada em O livro dos médiuns, Cap. XXIX, nº 333. Com a palavra o Codificador:

“Quando as reuniões se efetuam em dias e horas certos, eles (os Espíritos) se preparam antecipadamente a comparecer e é raro faltarem.

Reuniões nas quais seus membros se atrasam, nada se preocupando com o horário, tendem a ser pouco produtivas, porquanto o atraso por si só, além de sinal de desrespeito, ocasiona fadiga naqueles que esperavam o início da reunião. Nenhuma empresa alcançará o objetivo de aumentar a produtividade se não primar pela regularidade, ordem e disciplina, pois estes são fatores fundamentais para o sucesso de qualquer empreitada, com a atividade mediúnica ocorre o mesmo. Para que o médium possa de fato ser intermediário de comunicações produtivas se faz imperiosa sua adesão ao regime da disciplina, porquanto, os Espíritos também têm suas ocupações e atividades, e não podem ficar à disposição dos encarnados ao bel prazer. Compreende-se então que o fator humano, aqui exposto na figura do médium, é importante para que uma reunião mediúnica seja produtiva e alcance seu real objetivo de beneficiar criaturas do plano visível e invisível.

Outra atividade interessante para ser estudada à luz da temática produtividade são as palestras proferidas no Centro Espírita. O que é um orador produtivo? Será aquele que arrebata, emociona, ensina, informa?

Como ser um orador produtivo? Será que basta somente o conhecimento espírita?

É uma boa questão para reflexão de oradores e dirigentes espíritas. Partindo da premissa de que a função do Centro Espírita é ensinar Espiritismo, a tarefa do orador é, sem dúvida, transmitir da melhor forma possível os postulados kardequianos. Portanto, uma das virtudes fundamentais do orador espírita produtivo é estar embasado nas obras basilares da Codificação. Mas como ser produtivo lidando com um público heterogêneo que procura o Centro Espírita pelos mais variados motivos? Nas palestras públicas muitos nunca ouviram falar sobre Kardec e sua obra. Como então ensinar Espiritismo?

A chave está em aliar o conhecimento espírita à sensibilidade em perceber o que o público aguarda, adaptando a mensagem, obviamente caracterizada pelo fundamento espírita, à realidade dos ouvintes. Como ensinam os autores, a produtividade é algo além de um processo, constituindo-se em um estado de espírito. Portanto, o orador espírita produtivo vai além das palavras e estabelece conexão com o público. O orador espírita produtivo utiliza as ferramentas do estudo espírita e da sensibilidade para produzir mais em prol da missão do Espiritismo que é a regeneração da humanidade. O orador espírita produtivo está sempre se atualizando, estudando, pesquisando a Doutrina Espírita sem se esquecer da realidade do público, muitas vezes leigo em Espiritismo. O orador espírita produtivo transmite as lições do Espiritismo, mesmo as mais complexas, de forma simples e elegante.

Foram abordadas à luz da produtividade somente duas tarefas realizadas pelo Centro Espírita, todavia, em virtude da multiplicidade de trabalhos ofertados pelo Centro Espírita, a questão da produtividade pode e deve ser aplicada sempre, a fim de que o Espiritismo desempenhe de forma eficaz sua tarefa de transformar o mundo em um recanto de paz e harmonia para todos seus habitantes.

Pensemos nisso.

Mensagem psicofônica recebida pelo médium Divaldo Pereira Franco no encerramento do Congresso Espírita Mundial, em Valencia, Espanha

Mensaje a los Congresistas


«Maestro Jesús:



En el momento en que se clausura el 6º Congreso Espírita Mundial, deseamos agradecerte por todas las bendiciones con que nos honraste; agradecerte el bien, las oportunidades dichosas, el estudio de la Doctrina Espírita, las reflexiones profundas al respecto de la verdad y el momento de Convivencia Espiritual Internacional, y también agradecerte por el mal que no logró perturbarnos, por cuanto administraste las tareas de la Divulgación del Consolador no solamente en tierras españolas sino en diferentes cuadrantes del mundo.

Maestro Incomparable: propícianos proseguir en esta labor, que las llamas terrestres no logran destruir, porque es la Claridad Divina de tu Evangelio restaurado por los Espíritus. Facúltanos proseguir en el intercambio saludable en que las fronteras entre las dos vibraciones –material y espiritual– desaparezcan, y que en esta nueva hora que ya se vive en el planeta los espiritistas sepamos demostrar, como los Cristianos Primitivos, la excelencia de tus Enseñanzas.

Tú, que nos propiciaste estos tres días de convivencia espiritual superior, alárganos los horizontes para que prosigamos indefinidamente hasta que se instale en el planeta terrestre el reino de amor que iniciaste hace dos mil años.

Por más que intentemos agradecerte, no salimos del lugar común de las palabras y por ello nos comprometemos a vivir realmente el Significado Profundo de tus Enseñanzas para que todos sepan que pertenecemos a tu familia, y que a pesar de las diferencias de opinión somos las ovejas de tu rebaño; que cada uno retorne a sus sitios, sus provincias, sus países, llevando no solamente la alegría, el aplauso, la satisfacción de aquí haber estado, pero principalmente el Compromiso de Servir al Espiritismo, antes que del Espiritismo servirse para proyectarse. Que la Nueva Era sea caracterizada por la legítima fraternidad y por la construcción de un mundo mejor.

Nosotros, los Espíritus que participamos del Movimiento Espírita de España, y vosotros, con vuestros Guías Espirituales que con nosotros confraternizan, os abrazamos con infinita ternura y rendimos gracias a Dios, el Padre Celestial.

Os abraza, José María Colavida, deseando mucha paz para todos.»

(Mensaje psicofónico recibido por el médium Divaldo Pereira Franco, el 12/10/2010, durante la oración de clausura del 6º Congreso Espírita Mundial.)

** José María Fernández Colavida (1819-1888) nació en Tortosa (Tarragona, España); fue el primer traductor al español de las obras de Allan Kardec, siendo conocido como “el Kardec español”. Fue fundador de la “Revista de Estudios Psicológicos de Barcelona” en 1869, siendo su director y redactor durante 20 años. También fue Presidente de Honor del 1º Congreso Espírita Internacional, en Barcelona, en el año 1888.

----------------

(A seguir, a tradução do espanhol para o português, feita por Enrique e Regina Baldovino.)



JOSÉ MARIA FERNANDEZ COLAVIDA

http://angeldelbien.blogspot.com/2008/09/biografa-de-fernndez-colavida-justo.html





Mensagem aos Congressistas


«Mestre Jesus:



No momento do encerramento do 6º Congresso Espírita Mundial, desejamos agradecer-Te por todas as bênçãos com que nos honraste; agradecer-Te o bem, as oportunidades ditosas, o estudo da Doutrina Espírita, as reflexões profundas a respeito da verdade e o momento de Convivência Espiritual Internacional, e também agradecer-Te pelo mal que não logrou perturbar-nos, porquanto administraste as tarefas da Divulgação do Consolador não somente em terras espanholas, como em diferentes quadrantes do mundo.

Mestre Incomparável: propicia-nos prosseguir neste labor, que as chamas terrestres não logram destruir, porque é a Claridade Divina do Teu Evangelho restaurado pelos Espíritos. Faculta-nos prosseguir no intercâmbio saudável em que as fronteiras entre as duas vibrações – material e espiritual – desapareçam, e que nesta nova hora que já se vive no planeta os espiritistas saibamos demonstrar, como os Cristãos Primitivos, a excelência dos Teus Ensinos.

Tu, que nos propiciaste estes três dias de convivência espiritual superior, alarga-nos os horizontes para que prossigamos indefinidamente até que se instale no planeta terrestre o reino de amor que iniciaste há dois mil anos.

Por mais que tentemos agradecer-Te, não saímos do lugar comum das palavras e por isso nos comprometemos a viver realmente o Significado Profundo dos Teus Ensinos para que todos saibam que pertencemos à Tua família, e, conquanto as diferenças opinativas, somos as ovelhas do Teu rebanho; que cada um retorne a seus lares, províncias, países, levando não somente a alegria, o aplauso, a satisfação de aqui haver estado, mas, principalmente o Compromisso de Servir ao Espiritismo, antes que do Espiritismo servir-se para projetar-se. Que a Nova Era seja caracterizada pela lídima fraternidade e pela construção de um mundo melhor.

Nós outros, os Espíritos que participamos do Movimento Espírita da Espanha, e vós outros, com vossos Guias Espirituais que conosco confraternizam, vos abraçamos com infinita ternura e rendemos graças a Deus, o Pai Celeste.

Abraça-vos, José María Colavida, desejando muita paz a todos.»

(Mensagem psicofônica recebida pelo médium Divaldo Pereira Franco, em 12/10/2010, durante a prece de encerramento do 6º Congresso Espírita Mundial. Tradução do espanhol para o português de Enrique e Regina Baldovino.)

** José María Fernández Colavida (1819-1888) nasceu em Tortosa (Tarragona, Espanha); foi o primeiro tradutor para o espanhol das obras de Allan Kardec, sendo conhecido como “o Kardec espanhol”. Foi fundador da “Revista de Estudios Psicológicos de Barcelona” em 1869, sendo o seu diretor e redator durante 20 anos. Também foi Presidente de Honra do 1º Congresso Espírita Internacional, em Barcelona, no ano de 1888.

Palestras com Roosevelt Tiago Auriflama e Jales

Texto e fotos recebidos de José Aparecido dos Santos



PALESTRA:

SE NÃO OUVER VENTO ... REME!!!



http://api.ning.com/files/XSkRpO8P01iKiJkmj84U3ZzcBuWS8GO1sBAqaMhFJNfwM4Pyd9-GZKaiuwycCxPmNlvMaKSXhr8h4KXRo9jDrFrOVj4y76-*/publico.jpg?width=421



A frase em referência é título do mais novo livro do conhecido palestrante empresarial Roosevelt Tiago, de Barra Bonita/SP. Ele esteve realizando palestras com o tema do livro editado pela Editora Solidum. Esteve pela primeira vez em duas casas espíritas da região. No dia 24/10 (domingo) no Centro Espírita Caminheiros do Bem em Auriflama/SP e no dia 25 (segunda) no Centro Espírita Chico Xavier na cidade de Jales/SP.



http://api.ning.com/files/2TcN13kj3yqvnPrw-LIREAmBBQsgEKokgTegK9j1grRJvo2GWvgqr1w5eaxKWYL3qV0DlbDlbv6ibx698p8Hycr9T7NQkIrX/roosevelt_jales.jpg?width=721



Com uma ótima oratória Roosevelt prendeu o público para os ensinamentos da Doutrina Espírita , destacando os três remos que precisamos encontrar conosco mesmo para a nossa evolução espiritual e a busca da felicidade enquanto encarnados, pois nascemos todos para a felicidade, mas permanecemos cegos por ignorar as próprias potencialidades.



http://api.ning.com/files/E4iL6HacXEzxVmqfD3uGrpSOArj9iWttSTJEKS3cSlraVHEbvKBkb4ZOoz-ly8Rdnf4M12FPKEM-e93l65xRm5ytxtQYKsc7/publico1.jpg?width=721



http://api.ning.com/files/iepGD0*Wqy7FgZrQafoNH7rC5lKOyZT1R8ej19lIQnfs*UVK18JIuvm*SE1x*BImT3otMKqb3ShY016vONmFtdkeDsrYJHzF/publico2.jpg?width=721



Estive presente nas duas palestras, pois não cansei de ouvi-lo, sempre com um bom humor característico despertou-nos para a necessidade de utilizarmos os remos nos momentos que não houver vento.



Ofereço a todos o áudio desta palestra, realizada em Auriflama e o vídeo da palestra realizada em Jales. Descubra quais são os 3 remos, ouvindo a palestra acessando aqui



VÍDEO E AUDIO DESTA PALESTRA ESTÁ DISPONÍVEL NA REDE AMIGO ESPÍRITA – www.amigoespirita.ning.com







SEOB precisa de voluntários para Campanha de Arrecadação de alimentos São Carlos, SP


(Informação recebida em email de seob.assoc.espirita.obreiros.do.bem@gmail.com)

Palestras públicas no Núcleo Espírita Chico Xavier Promissão, SP


Endereço: Av. D. Pedro I, 325 - Promissão – SP



Horário: 20 horas



Datas/oradores/origem



01 Angela Pagan (Araçatuba)

08 - Wilda Bagio ( Penápolis)

15 - Sueli Cônsoli ( Promissão)

22 - Sérgio Savron (Promissão)

29 - Suzel H.P. Valente (Penápolis)



(Informação em email de Iraci Gava)

VIII Feira do Livro Espírita e Orquídeas Iracemápolis, SP

Texto e fotos recebidos em email de daniel.degaspari@terra.com.br



Boa tarde, Ismael.
Gostaria de divulgar a VIII Feira do Livro Espírita e Orquídeas que ocorrerá aqui em Iracemápolis/SP, de 05 a 07 de novembro, no Centro de Lazer do Trabalhador de Iracemápolis, realizada pela União Espírita de Iracemápolis.

O evento será realizado das 19 às 22 h na 6ª feira (dia 05); das 9 às 22 h no sábado (dia 06) e das 9 às 18 h no domingo (dia 07). Nesse ano, serão mais de 500 títulos disponíveis, dos mais variados (filosófico, evangélico, romances, vida no além, etc).
Os descontos concedidos pela Distribuidora, são repassados quase na totalidade, resultando que todos os livros são comercializados com preços abaixo da tabela. Assim fazemos pq não visamos lucro, mas somente a divulgação da doutrina.

As orquídeas comercializadas no mesmo ambiente (plantas adultas floridas e mudas) tem preços convidativos e parte do valor das vendas são repassados à Casa. Essa parceria tem dado certo nessas oito edições do evento. Essa parceria permite que utilizemos esse repasse nos gastos de transporte dos livros e divulgação do evento, daí pq podemos repassar os descontos quase na totalidade aos compradores.

Qualquer dúvida, coloco-me à disposição do amigo.
Vejo que suas matérias além da informação trazem fotos. Caso necessite, posso enviar-lhe.
Forte abraço
Daniel


Curso Estudo e Prática da Mediunidade na UEM Belo Horizonte, MG


(Informação em email de Regina Bachega)

Palestra com Dr. Rodrigo Machado na BUSS British Union of Spiritist Societies Londres, UK


DATA 13/11/2010

HORÁRIO 16 ÀS 18 HORAS

TEMA: A LEI DE CAUSA E EFEITO


(Informação recebida em email da BUSS)

2ª. Feira do Livro Espírita no Parque Ecológico do Tietê São Paulo, SP

2º Feira do Livro Espírita

Somente dia 07/11 – DOMINGO

Horário: 09:00 às 17:00h



Grande variedade de Livros Doutrinários e Romances, escritos por ALLAN KARDEC, CHICO XAVIER, DIVALDO PEREIRA FRANCO, IVONE DO AMARAL PEREIRA, e muitos outros!!!



Livros Espíritas de qualidade a preços de custo.



Local: Parque Ecológico do Tietê

Rua Guira Acangatara nº 70 – Engenheiro Goulart





Acessos:

Av. Dr. Assis Ribeiro, altura do nº 3.000 Ou:

Rodovia Ayrton Senna km 17 – Sentido São Paulo – Rio de Janeiro



Localização ►Próximo ao Restaurante – Bloco C e Área de Eventos



CONHEÇA A ESTRUTURA DO PARQUE ACESSANDO:

http://www.ecotiete.com.br




Realização Apoio:

CEEELE Editora Candeia / Pq. Ecológico Tietê



(Informação recebida em email da USE/SP)

23ª FEIRAMOR – Feira Espírita Beneficente Bauru, SP

Uma feira de Amor e Arte



A USE – União das Sociedades Espíritas Intermunicipal Bauru, realizará nos próximos dias 6 e 7 de novembro a vigésima terceira Feiramor, com o objetivo de arrecadar fundos para as entidades assistenciais espíritas de Bauru, Agudos, Lençois Paulista e Piratininga.

A Feiramor será realizada no Recinto Mello Moraes, com amplo espaço para receber os visitantes.

Voluntários das Casas Espíritas trabalham para oferecer uma grande festa de solidariedade, onde serão comercializados diversos tipos de: salgados: lanches de pernil, de frango, x-salada, lanche Bauru, cachorro quente, espetinhos, pastel, mini pizza, quibe, bolinho de bacalhau, bolinho de milho, yakissoba;

doces variados: tortas, brigadeiro, pudim, bolos, compotas, sorvetes; sucos e refrigerantes.

No horário do almoço, no domingo, será incluído o nhoque e saladas diversas.

Além dos alimentos serão comercializados artesanatos finos e bem variados, livros, cabeleireiro e massagista e bazar de roupas finas seminovas.

Haverá, também, um amplo espaço reservado às crianças com brincadeiras infantis: pesca, canaleta, bola na piscina, pula-pula e outras atividades.

Cerca de 700 voluntários são envolvidos num trabalho incansável de amor ao próximo, preparando e confeccionando produtos para a feira. Todos são voluntários, tanto os que preparam os alimentos deliciosos e nutritivos, como os que elaboram os artesanatos. Pessoas dedicadas trabalham o ano inteiro pintando, bordando, costurando, criando trabalhos maravilhosos nas diversas Casas Espíritas. E o resultado... artesanatos belíssimos fruto de muito amor e dedicação.

47 grupos estarão arrecadando fundos para: creches, casas de sopa, albergues, asilos, orfanatos e instituições que orientam e atendem gestantes, crianças e famílias carentes.



23ª Feiramor

Local: Recinto Mello Moraes

Av. Comendador José da Silva Martha, quadra 36 - Bauru



Horários: sábado – dia 6 - das 14 às 22 horas

domingo – dia 7 - das 10 às 22 horas.


Coloco-me à disposição para quaisquer outras informações.

Nelí Del Nery Prado - Coordenadora da Feiramor - tel. 3203-4646 9748-1352


(Informação recebida em email de Neli Del Nery Prado)

13º. Movimento “Você e a Paz” com Divaldo Pereira Franco 2010 Salvador, Bahia





Divulgue e participe



13º - MOVIMENTO VOCÊ E A PAZ

COM DIVALDO FRANCO 2010



Dia 22 de Novembro - Praça: Padre Mateus - Centro - às 20hs - Santo Antonio de Jesus/BA


Dia 12 de Dezembro - Dique do Tororó - às 18hs - Salvador/BA

Dia 13 de Dezembro - Praça Nelson Mandela (saída do plano inclinado da Liberdade), às 20hs - Salvador/BA


Dia 15 de Dezembro - Praça Almirante Coelho Neto – Barris - às 20hs - Salvador/BA


Dia 17 de Dezembro - Praça Ana Lúcia Magalhães, fim de linha da Pituba - às 20hs - Salvador/BA


Dia 19 de Dezembro - Praça do Campo Grande - às 20hs - Salvador/BA (Ponto culminante do movimento)


Formatação: Fátima Oliveira

Imagem/criação-Cláudio Urpia

Midi: Paz pela Paz - Nando Cordel




Ao repassar, acrescente uma nova frase sobre a PAZ.



Não existe um Caminho para a PAZ.
A PAZ é o Caminho (Mahatma Gandhi)



(Informação recebida em email de geny.vantini@yahoo.com.br)



Divaldo Pereira Franco no Congresso Espírita Mundial, em Valencia. Espanha.

Foto por Armandine e Dominique enviadas por Jorge Moehlecke

TESE DE DOUTORADO SOBRE CHICO XAVIER VIRA LIVRO



Entrevista: Magali Oliveira Fernandes



A entrevista com Magali Oliveira Fernandes ocorreu por conta do lançamento de seu livro Chico Xavier – Um Herói Brasileiro no Universo da Edição Popular, pela editora Annablume, de São Paulo. Como anuncia o título, trata-se de um estudo realizado com base no trabalho do médium mineiro e sua respectiva edição no Brasil. O livro de Magali, que é graduada em Jornalismo, resulta de sua tese de doutorado, defendida na área de Comunicação e Semiótica, na PUC-SP, em 2001. Seu livro, lançado recentemente, é mais um estudo acadêmico que presta inestimável contribuição ao conhecimento da vida e da obra de Francisco Cândido Xavier.



Folha Espirita – Fale um pouco sobre o projeto de pesquisa dentro da universidade, desde o início e que, agora, transformou-se em livro para o público em geral.

Magali Oliveira Fernandes - Na verdade, esse trabalho de doutorado a respeito de Chico Xavier faz parte de um outro, já realizado no mestrado na ECA-USP. Naquele primeiro projeto a intenção era tratar das primeiras impressões do kardecismo entre os brasileiros. E acabei encontrando o editor do primeiro periódico espírita no país, de nome Luiz Olympio Telles de Menezes, um jornalista baiano que, no século XIX, enfrentou muitas dificuldades para divulgar a Doutrina dos Espíritos. A dissertação de mestrado vinculava-se ao Projeto de Memória da Edição no Brasil, coordenado pela professora Jerusa Pires Ferreira, na própria USP. Então, quando optei, no doutorado, pelo tema Chico Xavier e a edição popular no País, o plano de investigação concentrava-se em saber, por intermédio dos livros psicografados que ele lançava, que material era esse na sua totalidade e, ainda, quem eram os seus editores, nesse processo de mensagens psicográficas, por sua vez, distribuídas com sucesso significativo em todo o País. A importância do médium mineiro, para tal pesquisa, estava comprovada tanto pela quantidade de títulos produzidos por ele como também pelas imensas tiragens que eram feitas de seus livros para atender a uma demanda crescente de público.



FE - Como você organizou isso em seu trabalho e quais as dificuldades que você foi encontrando no caminho de sua pesquisa?

Magali - De um lado, a partir do momento em que comecei o trabalho sobre Chico Xavier, ao contrário do que imaginava fazer – que era o levantamento de todas as suas obras já publicadas e das editoras responsáveis pelos seus lançamentos, reimpressões e reedições –, fui me deparando com outro tipo de material, completamente inesperado, e que eram as várias edições a respeito da vida do médium. Isto é, fui percebendo, por essas várias publicações encontradas no meio do caminho, que Chico Xavier, além de ser considerado um contador de histórias do plano dos espíritos, era também um protagonista de histórias que lembravam vidas de santos, de histórias de heróis, histórias de encantamento. A sua biografia era contada em variadas versões editoriais, das mais caras às mais baratas, como folheto de cordel, história em quadrinhos, livro de bolso, bem como edições de luxo, enfim, uma infinidade de impressões diversificadas, e isso é uma documentação inexplorada e que devia ser pensada, principalmente no âmbito de um projeto de memória da edição popular no Brasil. Esse material não era de exclusividade das editoras ditas kardecistas. Muito pelo contrário, eram produções de editoras consideradas não espíritas também.

De outro lado, pude verificar nesse processo de recolha de materiais da edição outros dados surpreendentes e de grande relevância para se compreender o personagem Chico Xavier. Discursos que eram promovidos pela via da imprensa, em textos e imagens, e que, aos poucos, iriam conferindo a Chico a construção de uma espécie de herói brasileiro. Mostravam, ao mesmo tempo, vários momentos de sua trajetória. Tivemos o período que correspondeu ao do lançamento de sua obra psicográfica inaugural, em 1932, pela editora FEB. Tivemos o período que foi marcado por romances psicografados pelos espíritos Emmanuel e também André Luiz. O período de Humberto de Campos. E o momento forte das psicografias em forma de correspondências dirigidas às mães que haviam perdido seus filhos jovens. Daí em diante, por parte da imprensa em geral, vai ficando mais claro um tipo de consagração do médium que vai se afirmando e se ampliando, independentemente da questão espírita em si.



FE - Nos capítulos de seu livro, fale um pouco como você conseguiu dividir todas essa documentação e análise...

Magali - No capítulo 1, mostro matérias da imprensa brasileira, da grande e da pequena imprensa, tanto da espírita como da não espírita, procurando apontar como é que Chico Xavier foi sendo divulgado por esses canais de comunicação, ao longo dos seus 70 anos de carreira no kardecismo, isto é, de 1932 a 2002, e considerando, também, o período que envolveu o seu falecimento, levado aos jornais e revistas, com distribuição em todo o país.

No capítulo 2, faço a amostragem de diferentes versões editoriais, nos seus vários projetos de capa e de miolo. Também, chego a trabalhar mais detalhadamente com algumas versões mais específicas, como a história de Chico Xavier, contada por um poeta popular em folheto de cordel, outra edição em história em quadrinhos e outra ainda no formato de livro, que acabou sendo lançado em duas edições distintas por editoras diferentes, uma mais popular e outra mais requintada. Ao mesmo tempo, procurei indicar como tal variedade anunciada nos projetos de edição nos levava à verificação de outra questão, a da variedade do público de diferentes segmentos sociais em todo o Brasil.

No capítulo 3, cuido da apresentação de um caderno inédito que teria pertencido a Chico Xavier, um caderno de contabilidade que ele usou para recortar e colar uma série de textos e imagens, formatando artesanalmente uma espécie de livro.

Com isso abriu-se uma possibilidade de se discutir a psicografia a partir de um repertório dado, de um procedimento de leituras, aprendizagens e gosto, e a relação da experiência do psicógrafo e sua história de vida, das interdições às motivações sofridas. Com isso abriu-se uma possibilidade de se discutir a psicografia a partir de um repertório dado, de um fazer editorial, de um procedimento de leituras, aprendizagens e gosto, e a relação da experiência do psicógrafo e sua história de vida, das interdições às motivações sofridas.



FE - Que tipo de contribuição você acha que poderia ser vista no seu trabalho de um modo mais geral?

Magali - Creio que a contribuição esteja no que esse material como um todo se apresenta e indica no sentido de abrir possibilidades de discussão, considerando aí desde a construção do herói Chico Xavier, via imprensa e via livros, até a sua atuação social e cultural, persistindo ainda hoje com muita força no imaginário popular, como modelo de conduta não só para os espíritas e médiuns, bem como para uma gama enorme de simpatizantes seus. Vale dizer também do aspecto editorial, da história do livro popular no segmento kardecista que esse trabalho de pesquisa anuncia, oferecendo materiais e referências para se compreender num plano mais amplo o projeto de memória da edição no Brasil.



Chico Xavier – Um Herói Brasileiro no Universo da Edição Popular

Editora Annablume: (11) 3031-1754

Contato da autora: Magali.oliveira1@terra.com.br



Ismael Gobbo igobi@uol.com.br



PUBLICADO NA FOLHA ESPIRITA, SÃO PAULO, JANEIRO/2009


ENVELHECIMENTO ATIVO X DEPRESSÃO


Entrevista: Dr. Fábio Nasri fnasri@uol.com.br


Segundo dados divulgados, em novembro, pelo Conselho Nacional dos Direitos do Idoso, em 2025, teremos, em território nacional, 40% do total de idosos da América Latina. O número é, sem dúvida, expressivo. Na entrevista abaixo, falamos com Fábio Nasri, 45, sobre o processo de envelhecimento e um dos grandes vilões desse processo: a depressão. Formado em Medicina pela Unifesp, em 1986, ele já foi coordenador do ambulatório de Endocrinologia do Setor de Geriatria como especialidade. Atualmente é o coordenador do programa de Geriatria e Gerontologia do Hospital Albert Einstein, em São Paulo (SP), um dos melhores do País. No Medinesp 2007, o congresso da Associação Médico-Espírita do Brasil, ele
Também falou sobre o tema.




Folha Espírita: O que significa envelhecimento Ativo?

Fábio Nasri “Enxergamos o envelhecimento ativo na pessoa que o alcança em boas condições, do ponto de vista cognitivo, que goze de independência, tenha boa capacidade visual, cultiva a auto-estima e consiga viver em clima harmônico na família e em sociedade”.



FE. Envelhecer de forma saudável pode evitar a depressão?

Nasri “Podemos dizer que um envelhecimento é saudável quando ocorre sem depressão. E para que a pessoa não venha a experimentar esse desagradável estado há que se cercar de cuidados no dia-a-dia, envolvendo aspectos físicos, psicológicos e espirituais”.



FE Qual a receita para viver sem o quadro depressivo e outros transtornos?

Nasri “Conhecer e cuidar das suas emoções, trabalhar o seu autoconhecimento. Além disso, ter cuidados sobre como cuidar da sua alimentação e atividade física, submeter-se aos exames preventivos, manter os relacionamentos familiares e ter uma prática religiosa saudável, qualquer que seja ela”.



FE. Em que sentido a religião pode ajudar? Funcionaria como um consolo?

Nasri “Não, mas como uma filosofia de vida e uma oportunidade de se conectar com o sagrado ou divino. Em última análise, com Deus. A maior parte das religiões prega valores dignos e edificantes a serem seguidos”.




FE. E a família? De que forma pode ajudar para que o envelhecimento de seus entes ocorra de forma saudável?

Nasri “Creio que dando o indispensável suporte. A presença da família é importantíssima porque é ela que, pela convivência cotidiana, vai assimilando as fases e as necessidades daquele que caminha para a velhice. Devemos lembrar que muitas vezes é dentro do processo familiar que encontramos os nossos maiores desafios. Quando os enfrentamos, estabelecendo um relacionamento franco e baseado na vontade mútua de evolução, podemos, então, desatar os nós de nossa existência e prosseguir a nossa jornada”.



FE. O senhor acha que a prática da família colocar pai, mãe ou outro familiar em algum asilo piora a qualidade de vida de quem vai para lá?

Nasri. “Sem dúvida e bastante! Na maioria das vezes o idoso acaba alcançando de forma mais rápida, e quiçá mais penosa, o seu declínio funcional e cognitivo. Essa prática de asilar as pessoas deve ser evitada o quanto possível devido aos resultados negativos que quase sempre acarreta”



FE. O que acontece com o organismo do idoso na ocorrência de depressão? Qual a química envolvida nesse processo?

Nasri “O organismo se ressente desses quadros depressivos. A depressão, no ponto de vista bioquímico, pode ser ocasionada pela diminuição de alguns neurotransmissores, principalmente da.serotonina e da dopamina. A falta destes pode desencadear o quadro depressivo, que se caracteriza pelo cultivo da tristeza, menor vontade de se expor, de sair de casa. Frequentemente, acompanham os quadros depressivos a ocorrência de doenças cardiovasculares e câncer, por exemplo”.



FE. Você acha que a perda da atividade sexual é fator relevante a ser considerado na velhice?

Nasri: “A prática sexual nada mais é que uma forma de trocar carinho, amor e afetividade. Assim, mais preocupante que a perda da atividade sexual é a ausência das trocas a que nos referimos”.



FE. Muitas pessoas, estando em atividade laboral dizem: quando me aposentar vou fazer isso, fazer aquilo. Ai chega a aposentadoria e a nova situação acaba levando-as a experimentar a depressão. O que as pessoas poderiam fazer de útil, ao se aposentarem, para se sentirem felizes?.

Nasri “Podem fazer muita coisa. Serem reeducadas, fazer cursos, entrar em universidades, podem desenvolver atividades de voluntariado nas quais colocam à disposição da sociedade toda aquela experiência que acumularam ao longo da vida.



FE Muitas vezes valoriza-se o trabalho remunerado como se fosse essencial um pagamento pela prestação de algum serviço. Isso não é meio equivocado?

Nasri ”Todo trabalho executado com amor, mormente aquele em que se busca atender às necessidades do próximo, é capaz de propiciar muito mais alegrias que a retribuição pecuniária que se aufere por um serviço qualquer. É uma moeda diferente que tem o condão de fazer crescer o nosso patrimônio espiritual. Então, aqueles que já alcançaram a independência financeira ou a aposentadoria podem pensar nessa forma diferente de acumular riquezas”.


Ismael Gobbo igobi@uol.com.br
Entrevista publicada na Folha Espírita, São Paulo, janeiro de 2009

sábado, 30 de outubro de 2010

ENTREVISTA COM TIAGO ESSADO

Promotoria comunitária, a vertente social do Cristianismo


Tiago Essado

Ismael Gobbo


Tiago Essado tem 33 anos. Nascido em berço espírita, em Franca, no interior paulista, há oito anos é promotor de Justiça e há dois fundou e vem presidindo a Associação Jurídico-Espírita do Estado de São Paulo (AJE-SP).


Ele não acha que ser espírita e promotor de Justiça seja uma tarefa fácil, já que considera “a responsabilidade e o compromisso maiores”. Por outro lado, acredita que ambas, juntas, ajudam muito a desempenhar bem a função, diante das benesses fornecidas pela Doutrina Espírita, talvez, em essência, “a de poder ver o próximo com amor e dignidade”.


Um exemplo nesse sentido, lembra, está na capital paulista, onde alguns colegas do Tribunal do Júri de Santo Amaro, durante greve do Judiciário, resolveram ir até a comunidade, a fim de identificar a razão de as pessoas praticarem tantos homicídios na região do Jardim Ângela. “Ouvindo a comunidade, passaram a, com ela e outras forças da sociedade (polícias, igreja, associações de bairro, Prefeitura e donos de bares), buscar soluções para a redução da criminalidade. Após alguns anos, o trabalho rendeu frutos: o número de homicídio reduziu drasticamente”, conta.


A chamada “Promotoria Comunitária”, que tem origem nos EUA e em cujo país o promotor de Justiça é escolhido pelo povo, em boa parte dos estados, e, portanto, explica-se a necessidade de o promotor se aproximar da comunidade, teve outra base fundada por Essado em maio do ano passado em São Simão, no Estado de São Paulo, após a experiência feliz de seus colegas na capital paulista. Abaixo, ele nos conta um pouco de sua experiência e explica o porquê da importância de o promotor estar na comunidade.



Quais os objetivos da Promotoria Comunitária?

Tiago Essado - Em síntese, o objetivo principal é buscar na própria comunidade a parceria necessária para a realização da transformação social. A sequência entre o crime, o processo e a cadeia revela que isto, por si só, não diminui a criminalidade. Você prende três pequenos traficantes e surgem cinco como peças de reposição. O que há de errado? Falta escola no bairro? A quadra que era para incentivar os meninos com o esporte virou ponto de tráfico? Por qual razão? Falta iluminação e isto também colabora com os roubos? Somente ouvindo quem vivencia esta realidade podemos buscar sua alteração. A partir do diagnóstico social vamos dialogar com o Poder Público e mostrar a necessidade de ocupar aquele espaço, preenchendo-o com as medidas convenientes.



Há alguma experiência concreta nesse sentido?

Como disse, os colegas promotores do Júri de Santo Amaro, na capital paulista, idealizaram este trabalho e com sucesso. Nesta experiência, os colegas demonstraram aos donos de bares que eles tinham também responsabilidade com os homicídios. Decidiram, de comum acordo, limitar o horário de funcionamento, a partir do diagnóstico de que os crimes ocorriam em altas horas, quando a bebia já fazia efeito mais danoso, criminoso, a bem da verdade. Em Guarulhos e mais recentemente em São Simão, ambas em São Paulo, a ideia também ganhou concretude. Em São Simão focamos a periferia mais carente, com maior estado de abandono social e maior número de usuário de drogas. Há quatro anos conseguimos, por meio de um acordo com o poder público municipal, a implementação neste local de um primeiro berçário. Para 2010, também por conta de outro ajuste, será construído outro berçário com uma creche.



Como o Ministério Público vê este projeto?

A ideia vem ganhando espaço no âmbito do Ministério Público. Em São Paulo a Procuradoria-Geral de Justiça fomenta a implementação do projeto. A ideia é expandi-lo para todo o Estado. Aos poucos, os colegas começam a perceber que só o processo não resolve o problema. A atuação extrajudicial, por meio do diálogo, é a modernidade do Direito e da justiça.



De que forma o trabalho se desenvolve?

O Ministério Público, como órgão do Estado, conta com escassez de recursos materiais e humanos. Hoje, o trabalho é feito com certo voluntarismo. Designa-se um local do bairro (centro comunitário, escola etc) e realiza-se reunião mensal. Convidamos as lideranças, policiais, agentes públicos, enfim, quem tenha interesse, sem qualquer imposição. A adesão dos colegas promotores também se faz de forma voluntária. Aos poucos, o trabalho vai se desenvolvendo. Depende muito da participação ativa da comunidade também. É um começo...



A Promotoria Comunitária é criada por ato do Ministério Público?

A Promotoria Comunitária é o nome de uma nova forma de encarar a atuação do promotor de Justiça, que não se limita à resolução processual, conforme já dito, mas que busca a efetiva resolução de um problema e, primeiramente, fora do processo. É sentar com o prefeito e discutir sobre a política pública de uma determinada comunidade. Desse modo, não há criação formal, apenas simbólica. Muitos colegas já atuam assim, há tempos. A institucionalização é importante para divulgar a prática e incentivá-la.



Há perspectiva de a Promotoria Comunitária ser institucionalizada?


A Promotoria Comunitária é a metodologia contemporânea de se exercer uma atuação voltada, sobretudo, para a prevenção da criminalidade. Em recente participação no XVIII Congresso Nacional do Ministério Público, juntamente com o colega Augusto Rossini, pioneiro do projeto desenvolvido em Santo Amaro, defendemos a ideia da implementação da Promotoria Comunitária. Ela foi plenamente aceita, sendo o fato novo no âmbito de discussão das teses criminais, e acabou gerando um dos três tópicos da Carta de Florianópolis (ver abaixo).



Qual a relação entre a Promotoria Comunitária e o ideal espírita-cristão?

A Promotoria Comunitária exige, em primeiro lugar, humildade por parte do promotor de Justiça. Ele tem de sair do gabinete e ir ao encontro do povo. Ouvir os anseios e propostas da comunidade. Servir como ponte entre o povo e os poderes constituídos, tentando, primeiramente, por meio do diálogo, a viabilização de melhorias sociais. Há que se horizontalizar as relações, mostrar que o povo também tem o direito e o dever de promover a Justiça. É contribuir com a evolução de um modo geral, tratando com dignidade quem muitas vezes é relegado ao último plano social. Esta é a vertente social do Cristianismo. Para novos tempos, exigem-se novas posturas. Os operadores do Direito espíritas têm o dever de trilhar a segunda milha, fazer o algo mais que Cristo espera de nós...



“Na Promotoria Comunitária, o promotor de Justiça sai do gabinete e vai ao encontro do povo. Ouve os anseios e propostas da comunidade. Serve como ponte entre o povo e os poderes constituídos, tentando, primeiramente, por meio do diálogo, a viabilização de melhorias sociais”.



Carta de Florianópolis: “O Ministério Público reafirma sua disposição de fazer-se solidário com os Poderes e órgãos do Estado e com as instituições da sociedade civil no processo de construção e consolidação da Justiça e da paz social. Para a consecução desse objetivo propõe-se a: (...) aprofundar a conscientização dos membros do Ministério Público acerca das responsabilidades institucionais, realçando a dimensão de seus compromissos com a realização dos objetivos fundamentais da República (CF, art. 3º), e aperfeiçoando os modelos operacionais, com vistas a uma contribuição maior e mais efetiva à construção de uma sociedade livre e solidária, inclusive com a implantação de Promotorias de Justiça Comunitárias, fundadas na premissa de uma maior aproximação com a comunidade, para fins de prevenção dos conflitos sociais, sejam de natureza civil ou criminal.”






a primeira foto revela os colegas presentes quando da instalação da PJ Comunitária em São Simão. O procurador-geral de Justiça Dr. Fernando Grella Vieira está ao meu lado, o segundo da direita para esquerda. Na extremidade esquerda está o colega Augusto Rossini, pioneiro do projeto em Santo Amaro.



Na segunda foto revela o público, quando da instalação, no Teatro Carlos Gomes, em São Simão.



ENTREVISTA PUBLICADA NA FOLHA ESPÍRITA, MARÇO 2010